“A sustentabilidade não é um objetivo a ser alcançado, não é uma situação estanque, mas, sim, um processo, um caminho a ser seguido”. A definição é da AsBEA – Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetura – que ainda sugere que a sustentabilidade seja baseada em três aspectos: o ambiental, o econômico e o social.

A MUDA segue esses princípios em seu trabalho. Entendemos que a implantação, bem como a percepção dos impactos que uma arquitetura produz, vão desde a interferência na paisagem local, passando pelas mudanças na circulação, no valor do solo e pelo tratamento de resíduos produzidos, até o papel que cada obra exerce no modo de vida da sociedade.

Um conceito que vem se aplicando no Brasil, nos últimos anos, traz os seguintes itens básicos para um projeto efetivamente sustentável:

  • Eficiência energética.
  • Uso racional da água.
  • Preferência por materiais ecologicamente corretos, como madeira certificada.
  • Preservação ambiental.
  • Reaproveitamento de materiais reciclados.

sustentavel-01Trabalhamos sempre pensando na redução de custos e na contribuição para um meio ambiente saudável, com ações de reciclagem, utilização de fontes de energia alternativas e redução das emissões de carbono.

É assim que a arquitetura da MUDA se apresenta no mercado. Com total respeito ao meio ambiente, sem abrir mão um milímetro sequer da criatividade e, também, da ousadia, quando preciso.

Algumas ferramentas que avaliam os critérios de sustentabilidade nas construções.

 

 

A Etiqueta PBE Edifica

O Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) criou a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE) que evidencia a eficiência energética de edificações residenciais multifamiliares, unidades habitacionais autônomas e áreas de uso comum e comercial, públicas ou de serviços. O projeto e o edifício construído poderão ser analisados e receberão etiquetas com chancela do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) com graduações de “A” a “E”, de acordo com a eficiência energética, sendo “A” o nível que representa a maior eficiência. A avaliação privilegia construções que aproveitem ao máximo as propriedades da sua área, bem como a capacidade de iluminação e ventilação natural das construções, levando a um consumo menor de energia elétrica.

sustentavel-02

Exemplo de Etiqueta para edificações comerciais, de serviço e públicas.

sustentavel-03

Exemplo de Etiqueta para edificações residenciais.

Garantir as edificações analisadas um desempenho energético mais eficiente, incentivar projetos arquitetônicos com materiais adequados ao clima local e despertar a percepção do consumidor quanto aos critérios para a escolha de um imóvel, são algumas das vantagens da Etiqueta PBE Edifica.

Fonte: http://pbeedifica.com.br/

 

 

O SISTEMA LEED®

sustentavel-04

O LEED® (Leadership in Energy and Environmental Design) é um sistema de certificação ambiental para edificações promovido pelo U.S. Green Building Council (USGBC). Seu representante oficial, o Green Building Council Brasil (GBC Brasil), está presente no País desde julho de 2007. É o selo de maior reconhecimento internacional e o mais utilizado em todo o mundo, inclusive no Brasil.

As construções que recebem o selo LEED seguem rigorosas regras no que diz respeito a cinco pilares:

  • Implantação sustentável.
  • Energia e atmosfera.
  • Consumo eficiente de água.
  • Materiais e recursos.
  • Qualidade interna do ambiente.

De acordo com a avaliação do empreendimento, diferentes níveis podem ser alcançados, representados pelos selos: Certificado, Silver, Gold e Platinum. Para tal, deve-se atingir uma pontuação, resultado dos créditos obtidos a partir do atendimento do referencial técnico. Além dos créditos, pré-requisitos devem ser cumpridos para o aceite do processo. O não atendimento dos pré-requisitos inviabiliza a certificação.

Aspectos avaliados pelo Sistema LEED-NC v.3:

  • Sustentabilidade do espaço.
  • Racionalização do uso da água.
  • Eficiência energética.
  • Qualidade ambiental interna.
  • Materiais e recursos.
  • Inovação e processos de projeto.
  • Créditos regionais.

 

Procedimento de certificação:

  • Registro do projeto;
  • II. Envio dos projetos executivo, complementares, memoriais, cálculos e templates para sua avaliação.
  • III. Envio de relatório demonstrativo da fase de execução que reunirá documentos, amostras de materiais, registros fotográficos, laudos técnicos, declarações e quaisquer elementos comprobatórios que ratifiquem as especificações fornecidas na fase de projeto e sua execução.
  • IV. Treinamento para ocupação.
  • V. Pré-operação: avaliação dos sistemas instalados.
  • VI. Acompanhamento pós-entrega.
  • VII. Submissão dos créditos para análise e certificação.

A consultoria técnica visa orientar o atendimento aos procedimentos de avaliação da
versão do Referencial Técnico NC LEED v.3 (ou a versão válida no momento de registro do projeto), no qual se enquadra a tipologia Hotel, além de prover subsídios suficientes para apoiar a tomada de decisão em relação às intervenções necessárias e ao planejamento global do empreendimento de modo a alcançar a certificação desejada pelo contratante.

 

 

Processo AQUA – Alta Qualidade Ambiental

sustentavel-05

A Certificação de Construção Sustentável - Processo AQUA - demonstra, de forma inegável e inequívoca, a Alta Qualidade Ambiental do Empreendimento, provada por meio de auditorias independentes.

Os benefícios de um Empreendimento Certificado com o Processo AQUA são:

  • Qualidade de vida do usuário.
  • Economia de água.
  • Energia.
  • Disposição de resíduos e manutenção.
  • Contribuição para o desenvolvimento socioeconômico e ambiental da região.

Para obter a certificação o empreendedor da construção deve estabelecer o controle total do projeto em todas as suas fases:

  • Programa.
  • Concepção (Projeto).
  • Realização (Obra).
  • Operação (Uso).
  • Por meio do Sistema de Gestão do Empreendimento (SGE), para que sejam atendidos os critérios de desempenho da Qualidade Ambiental do Edifício (QAE).

A certificação é concedida ao final de cada fase, mediante verificação de atendimento ao Referencial Técnico.

O Referencial Técnico - Processo AQUA – é a adaptação para o Brasil da “Démarche HQE”, da França, e contém os requisitos para o Sistema de Gestão do Empreendimento (SGE) e os critérios de desempenho nas categorias da Qualidade Ambiental do Edifício (QAE).

Os requisitos do SGE exigem o comprometimento com o perfil de QAE visado e acompanhamento, análise e avaliação da QAE ao longo do empreendimento, entre outros.

Os critérios de desempenho do QAE abordam a eco-construção, a eco-gestão e a criação de condições de conforto e saúde para o usuário.

Fonte: http://www.vanzolini.org.br/

 

 

Selo Qualiverde

qualidade-verde-rio

 

Criado pela prefeitura do Rio de Janeiro, o selo Qualiverde foi desenvolvido com objetivo de qualificar as construções sustentáveis na cidade carioca. A iniciativa da Secretaria Municipal de Urbanismo (SMU) tem como objetivo incentivar empreendimentos que incluam ações e soluções ecologicamente corretas para o projeto; gestão da água; eficiência energética e desempenho térmico.

O programa de certificação oferece benefícios fiscais e edilícios para edificações residenciais, comerciais, institucionais ou mistas, novas ou já existentes, que adotarem práticas de sustentabilidade.

O certificado é concedido de acordo com critérios de pontuação estabelecidos e o requerimento para a obtenção do selo é avaliado por representantes das secretarias de Urbanismo e do Meio Ambiente. Aquele que atingir, no mínimo, 70 pontos será classificado como Qualiverde e o que atingir 100 pontos receberá o selo Qualiverde Total.

No caso de projetos de prédios existentes, as ações e práticas de sustentabilidade devem ser relativas a toda a edificação e ao lote em que ela se encontra, e não apenas ao acréscimo de construção ou área reformada.
Aqui você encontra o decreto e o requerimento para download e obtenção de maiores detalhes.

 

O Selo Caixa Azul

selo-casa-azul

 

Ao criar o Selo Casa Azul, a Caixa pretende incentivar o uso racional de recursos naturais na construção de empreendimentos habitacionais, reduzir o custo de manutenção dos edifícios e as despesas mensais de seus usuários, bem como promover a conscientização de empreendedores e moradores sobre as vantagens das construções sustentáveis.



O Selo se aplica a todos os tipos de projetos de empreendimentos habitacionais propostos à Caixa para financiamento ou nos programas de repasse. Empresas construtoras, poder público, empresas públicas de habitação, cooperativas, associações e entidades representantes de movimentos sociais podem se candidatar a receber o Selo.



A iniciativa se soma a outras importantes medidas da Caixa indutoras da produção habitacional com sustentabilidade ambiental, tais como: o uso de madeira com origem legal na construção; o incentivo financeiro para sistemas de aquecimento solar de água e a necessária medição individualizada de água e gás nos prédios.



O método utilizado pelo banco para a concessão do Selo consiste em verificar, durante a análise de viabilidade técnica do empreendimento, o atendimento aos critérios estabelecidos pelo instrumento que estimula a adoção de práticas voltadas à sustentabilidade dos empreendimentos habitacionais.



O Selo Casa Azul Caixa possui seis categorias: Qualidade Urbana, Projeto e Conforto, Eficiência Energética, Conservação de Recursos Materiais, Gestão da Água e Práticas Sociais.

As categorias são subdivididas em 53 critérios de avaliação – alguns obrigatórios e outros de livre escolha. A quantidade de critérios atendidos pelo projeto determinará o nível de gradação obtido, conforme quadro a seguir: